Utilizando o GRASS Para Gerar Pontos Aleatórios no gvSIG

Buenas!
Recentemente descrevemos como gerar pontos aleatórios em polígonos utilizando a extensão SEXTANTE no gvSIG. Neste tutorial faremos uso de um algoritmo do GRASS no gvSIG para obter um resultado semelhante. Usei o termo “semelhante” porque o resultado final obtido não é igual ao do tutorial anterior, uma vez que este algoritmo gera pontos aleatórios a partir de uma vista ou de um shape, mas não permite especificar o número de pontos que serão gerados por polígono, que foi a proposta inicial do exercício feito pelo @geoluislopes. No entanto, este algoritmo é muito interessante, podendo gerar não apenas pontos aleatórios em 2D, mas também em 3D. Ou seja: certamente tem o seu momento de aplicação.
Feita esta ressalva, vamos ao tutorial propriamente dito, assumindo que você já está com o GRASS instalado no gvSIG:

Inicialmente, baixe o shape dos municípios do RS, que usaremos neste tutorial. Crie uma nova vista com a projeção WGS 84 (EPSG 4326), abra a mesma e insira o shape.

ptos_aleat01g

Apliquei um zoom na área de interesse, onde quero que os pontos sejam gerados (neste caso, na região central do RS).
ptos_aleat02g

Acessamos a extensão SEXTANTE, através do ícone “SEXTANTE Toolbox”. Na janela da extensão, navegamos até encontrar os algorítimos do GRASS.

ptos_aleat03g

Utilizando a árvore de algorítimos, vamos navegando até encontrar o algorítimo desejado: GRASS > Vector (v.*) > v.random

ptos_aleat04g

Um clic duplo no nome do algorítimo irá abrir a sua janela de entrada de dados, onde poderemos configurar as opções disponíveis. Na primeira aba, “Parameters”, vamos alterar apenas o “n”, que determina o número de pontos a serem gerados, que fixei em 50. As demais opções não nos interessam neste momento, a não ser “v.random: output(vector)”, que detemina se a camada resultante será gerada em um arquivo temporário ou se iremos salvá-la para um arquivo específico. Podemos deixar a opção default de gerar para um arquivo temporário.

ptos_aleat05g

Na segunda aba, “Region”, iremos defenir a região onde o algorítimo será aplicado. Existem 3 opções:

  1. “User defined”, onde podemos determinar manualmente o local de aplicação, alterando os parâmetros “Range X” e “Range Y”.
  2. “Use extent from view”, onde poderemos escoher uma vista para aplicar o algorítimo (a visualiação atual da mesma fixará os parâmetros “Range X” e “Range Y”).
  3. “Use extent from layer”, onde poderemos esolher uma camada onde o algorítimo será aplicado (somente em toda a extensão da camada).

Escolhi a segunda opção, para gerar os pontos aleatórios na visualização da vista que estava ativa.

ptos_aleat06g

Ao clicarmos em “Ok” o algorítimo será aplicado conforme os parâmetros escolhidos, e o resultado aparecerá em uma nova vista. Devemos então selecionar a camada gerada e exportá-la (Camada > Exportar para > SHP).

ptos_aleat08g

Depois de exportar a camada podemos fechar a vista gerada e, voltando para a vista anterior, adicionamos a camada que salva para visualizar os resultados.

ptos_aleat09g

Par conhecer maiores detalhes do algorítimo v.random, basta acessar a página do mesmo no manual online do GRASS.

Instalando o GRASS no gvSIG – Windows XP

Buenas! Para utilizar os algoritmos do GRASS no gvSIG, obviamente antes é preciso instalá-lo. Você pode fazer isso seguindo o tutorial do Jorge Santos, para windows, usando o gvSIG OADE, ou o tutorial do Esdras Andrade, ensinando a instalação no linux, também utilizando para isso o gvSIG OADE. Outro tutorial pode ser achado no blog Fuguraro GIS, que explica a instalação do GRASS tanto para o windos7 quanto para o linux, sem a necessidade de instalar o gvSIG OADE. Foi esse o procedimento que adotei, mas vou aproveitar para explicar como resolver certos “problemas” que apareceram no processo.

Para início de conversa, vá até a página de download do GRASS e baixe a última versão estável do programa. Execute o arquivo baixado, e nos depararemos com a seguinte tela:

grass_gvsig01

Clique em “Next”, e seremos apresentados a tela de licença do GRASS.

grass_gvsig02

Clique novamente no botão “Next”, e veremos a tela de escolha do local de instalação do programa. Pode aceitar a localização sugerida. Clique em “Next” mais uma vez.

grass_gvsig03

Na próxima tela, faremos a seleção do que será instalado. Se você quiser lidar diretamente com o GRASS e fazer os tutoriais de exercícios propostos, pode instalar também os dados de exemplo. No meu caso, deixei desmarcado.

grass_gvsig04

Clicando no botão “Install”, começará o processo de instalação propriamente dito:

grass_gvsig05

Terminado o processo de instalação (que é bastante demorado, não se assuste…), chegamos à seguinte tela:

grass_gvsig06

Ao clicar em “Next”, seremos apresentados à tela final da instalação do GRASS:

grass_gvsig07

Para os fins aqui propostos não precisaremos abrir o GRASS, bastando clicar em “Finish” para sair da instalação.

Vamos agora abrir o gvSIG, e ativar a extensão SEXTANTE, clicando no ícone “SEXTANTE Toolbox”

grass_gvsig08

Com o SEXTANTE aberto, vamos clicar no botão de configuração da extensão:

grass_gvsig09

Seremos apresentados à tela de configurações do SEXTANTE:

grass_gvsig10

Ao clicar na aba GRASS, seremos apresentados à tela de configuração do GRASS:

grass_gvsig11

Na opção “GRASS GIS instalation folder”, vamos selecionar o caminho da instalação do GRASS. No meu caso, C:\Arquivos de Programas\GRASS 6.4.1

Na opção “Shell interpreter (sh.exe)”, vamos localizar o caminho do interpretador de comandos do Shell. No meu caso, encontrei ele sob C:\Arquivos de Programas\GRASS 6.4.1\mysys\bin\sh.exe

Terminado este passo, basta clicar em “Setup GRASS”, torcer os dedos e esperar que tudo dê certo…

Se você é um cara extremamente sortudo, tudo terá ocorrido sem maiores problemas, e você receberá a seguinte tela, avisando que o GRASS já está instalado no SEXTANTE, e que agora contamos com mais 187 algoritmos de geoprocessamento dentro do gvSIG:

grass_gvsig12

Agora, se você é como eu, certamente vai receber uma grande quantia de mensagens de erro! 🙁

A primeira delas nos avisa que a MicoSoft não instalou no seu Windows XP a seguinte dll: “MSVCP71.dll“. Aí não tem jeito… tem que ir para a internet e baixar a dita cuja dll (um dos links que eu achei) e colocá-la na pasta “C:\WINDOWS\system32“. Feito isso, já podemos passar para as próximas mensagens de erro…

O que virá a seguir é uma grande série de avisos de que estão faltando mais… dll’s! E o pior: agora a internet já não nos ajuda tanto! A não ser por uma dica que encontrei nas listas de usuários do gvSIG: na verdade, o que acontece é que o instalador do SEXTANTE procura essas dll’s na pasta padrão do GRASS, a pasta “lib“, mas as ditas cujas estão na pasta “extralib“. Basta você copiar todas as dll’s da pasta “extralib“, e colá-las na pasta “lib” (tudo isso dentro da pasta de instalação do GRASS, que no meu caso foi “C:\Arquivos de Programas\GRASS 6.4.1“). Quando você fizer isso e clicar no “OK” da mensagem de erro que estava aparecendo no gvSIG, automagicamente desaparecerão as mensagens de erro, e seremos brindados com 0 acesso aos 187 algoritimos do GRASS no gvSIG, a partir da extensão SEXTANTE, como pode ser comprovado na próxima tela:

grass_gvsig13

Ufa! Demorou, mas conseguimos! Em breve postarei um artigo utilizando o GRASS para gerar pontos aleatórios no gvSIG. Aguardem!

Geração de Pontos Aleatórios em Polígonos no gvSIG

Buenas, retornamos para mais um artigo da Série “Quebrando Tabus: SL também faz!“, lembrando que esta série de artigos foi uma idéia do Luís Lopes (@geoluislopes), e até o momento está contando também com a adesão dos geoblogueiros Anderson Medeiros (@ClickGeo), Esdras Andrade (@geoparalinux) e do Sadeck (@sadeckgeo), que vem reproduzindo os artigos nos mais diversos Softwares Livres de Geo, comprovando que é possível realizar nesses programas atividades de geoprocessamento que antes só eram encontradas nos softwares proprietários.

Antes de começar com o tutorial propriamente dito, vamos a um pequeno esclarecimento: como o gvSIG também possui embutida a extensão SEXTANTE, o procedimento que iremos seguir é o mesmo do tutorial feito pelo Anderson Medeiros, “Kosmos GIS: Geração de Pontos Aleatórios em Polígonos“. Em outro tutorial, que farei em breve, demonstrarei como utilizar os algoritmos disponibilizados pelo GRASS, que também podem ser rodados no gvSIG através da extensão SEXTANTE.

Primeiramente, baixe o arquivo shapefile que será usado neste tutorial, contendo os limites de 5 municípios da região do Piemonte da Diamantina – Bahia. Em seguida, abra o gvSIG e crie uma nova vista, com o sistema de coordenadas do shape, WGS 84 (EPSG 4326). Abra a vista e insira o shapefile que foi baixado. Deveremos ter uma tela semelhante a esta:

ptos_aleat01 - Share on Ovi

Em seguida, vamos acessar a extensão SEXTANTE. Para isso, clique no ícone Sextante Toolbox, localizado na barra de ícones:

ptos_aleat02 - Share on Ovi

Abrirá a janela do SEXTANTE:

ptos_ale_sextante01 - Share on Ovi

 Navegue na árvore de Algoritmos: SEXTANTE > Tools for polygon layers > Adjust n point to polygon

ptos_ale_sextante02 - Share on Ovi

 Com um clic duplo no algoritmo, abre-se a janela de configuração do mesmo, onde podemos ajustar os parâmetros:

ptos_ale_sextante03 - Share on Ovi

 Na parte referente aos parâmetros de entrada, selecionamos a camada que contém os polígonos onde a operação será realizada (piemont_chapada.shp, neste caso). Nota-se ainda que poderíamos criar os pontos baseados em um valor existente em um campo da tabela de atributos do shape.

Nas opções, digitamos o número de pontos por polígono que queremos que seja gerado, e o método (“random”, para que os pontos sejam aleatórios).

Nos parâmetros de saída, podemos escolher se queremos gerar a nova camada como um arquivo temporário, ou se queremos salvar para um novo arquivo.

Ao clicarmos em “OK”, o SEXTANTE irá executar o algoritmos com os parâmetros que foram selecionados e irá inserir a camada criada na vista ativa. Ao fecharmos a janela do SEXTANTE veremos o nosso resultado final:

ptos_ale_sextante04 - Share on Ovi

 Lembre-se de salvar a nova camada, selecionando-a no TOC e, em seguida, clicando em Camada > Exportar para… > SHP.

Por enquanto é isso, pessoal. Em breve estarei postando o artigo que executa uma função semelhante, mas utilizando os algoritmos do GRASS dentro do gvSIG.

Em tempo: para o pessoal que acompanha a Série “Quebrando Tabus: SL também faz!” pelo twitter, criamos uma hachtag especial para as twittadas sobre o assunto: #SLGeoTbFaz. Assim, fica mais fácil de acompanhar as postagens e de realizar buscas sobre o assunto 😉

Instalando extensões do gvSIG 1.9, no Ubuntu Linux

Conforme prometido no artigo sobre a instalação do gvSIG 1.9 no Ubuntu Linux Lucid Lynx, vamos agora instalar as principais extensões que estão disponíveis para o gvSIG 1.9:
1 – Extensão Teledeteción:
Ferramenta que habilita a manipulação de arquivos raster.
Sequencia de comandos a serem executados em um terminal:

wget -c http://gvsig-desktop.forge.osor.eu/downloads/pub/projects/gvSIG-desktop/devel/gvSIG-1_9/ext/extRemoteSensing-0.1.0/1239/gvsig_extRemoteSensing-0.1.0-1239-linux-i586.bin

chmod +x gvsig_extRemoteSensing-0.1.0-1239-linux-i586.bin

./gvsig_extRemoteSensing-0.1.0-1239-linux-i586.bin

Em continuação basta seguir as instruções, podendo escolher a opção “use JRE used by a previous gvSIG version”, que é a opção recomendada. Lembre-se também de localizar a pasta onde instalou o gvSIG.
(se você quiser um passo-a-passo um pouco mais detalhado, dê uma olhada no meu tutorial sobre a instalação do módulo sextante no gvSIG 1.2).

2 – Extensão Sextante:
E por falar no Sextante, vamos a sua instalação. O processo é o mesmo, então só vou colocar os comandos a serem executados no terminal, e você prossegue com o restante ;)

wget -c http://gvsig-desktop.forge.osor.eu/downloads/pub/projects/gvSIG-desktop/devel/gvSIG-1_9/ext/extSextante-0.3.0/1232/gvsig_sextante-0.3.0-1232-linux-i586.bin

chmod +x gvsig_sextante-0.3.0-1232-linux-i586.bin

./gvsig_sextante-0.3.0-1232-linux-i586.bin

3 – Extensão NavTable:
Já falei sobre a NavTable por aqui, e agora ela está disponível também para o gvSIG 1.9. Para instalar, você vai precisar entrar na página do NavTable, e fazer o download da versão 0.4.1, que é a que nos interessa no momento. Como é um arquivo zip, abra-o com o seu descompactador preferido e extraia a pasta “es.udc.cartolab.gvsig.navTable” para o seguinte destino: pasta_de_instalação_do_gvSIG/bin/gvSIG/extensiones/
Quando você abrir o gvSIG 1.9 novamente a extensão já estará habilitada.

4 – Extensão Phone Cache:
Já falamos sobre ela quando apresentamos o gvSIGmini. Em resumo, ela permite utilizar o gvSIG como visualizador e gerenciador de download de mapas que posteriormente podem ser colocados no cartão de memória do celular, para serem utilizados pelo gvSIGmini em modo offline, economizando no tráfego de dados.
Como estou preparando um tutorial sobre esta extensão, vamos aproveitar e instalar o Phone Cache. Mesmo procedimento que os anteriores, utilizando o terminal:

wget -c https://confluence.prodevelop.es/download/attachments/10420368/extPhonecache-1_9-1253_11-linux-i586.bin

chmod +x extPhonecache-1_9-1253_11-linux-i586.bin

./extPhonecache-1_9-1253_11-linux-i586.bin

E seguir com a instalação em modo visual, observando as dicas já comentadas.

Bom, por enquanto é isso. Já temos o gvSIG 1.9 devidamente instalado, bem como as principais extensões. Agora podemos “botar a mão na massa” e começar a trabalhar com esse excelente programa.
Se você está precisando de alguns tutoriais, vou indicar dois sites excelentes, com muitos recursos para o gvSIG e outros programas opensource na área de geoprocessamento:

gvSIG – instalando o módulo SEXTANTE

Eu havia prometido no tutorial sobre a instalação do gvSIG no Ubuntu Linux que faria um tutorial sobre a instalação de módulos, começando pelos módulos PilotRaster e SEXTANTE. Depois de algumas cobranças, finalmente arranjei um tempo para cumprir a promessa ;)
O módulo SEXTANTE é simplesmente um dos principais módulos que podemos instalar ao gvSIG, pois o mesmo adiciona nada mais do que 161 algoritmos voltados principalmente para a geoanálise. Você pode conferir a lista de todos os algoritmos implementados neste link.
Para o SEXTANTE funcionar corretamente sob o gvSIG, precisamos instalar primeiramente o módulo PilotRaster. Então, vamos abrir o terminal e “botar a mão na massa”:
Obs.: estou partindo da premissa de que você instalou o gvSIG seguindo o tutorial anterior. Se você modificou alguma coisa (nome da pasta de instalação, por exemplo), faça as devidas correções.
Um das coisas a se observar na instalação de módulos para o gvSIG é que a maioria deles são desenvolvidos para versões específicas do mesmo. Sendo assim, é sempre bom dar uma passada na página de downloads e conferir qual a versão que se adapta a versão do gvSIG que estamos usando. Olhando a página de downloads do módulo PilotRaster, observamos que a última versão disponibilizada serve para as versões 1.1.x do gvSIG. Como estamos utilizando a versão 1.1.2, é essa que devemos utilizar. Copiando o link do download da versão Linux do arquivo, vamos ao terminal:

wget -c ftp://downloads.gvsig.org/gva/descargas/ficheros/Extensiones/gvSIG-1_1_x-raster_pilot-BN7-linux-i586.bin

Como de praxe, vamos mudar as propriedades do arquivo, para permitir a execução:

chmod +x gvSIG-1_1_x-raster_pilot-BN7-linux-i586.bin

E já podemos executar o arquivo:

./gvSIG-1_1_x-raster_pilot-BN7-linux-i586.bin

Abrirá o instalador visual do módulo. Como já temos o gvSIG instalado, podemos deixar a opção de “use JRE used by a previus gvSIG version”, que é a opção recomendada. Clicando em [Continue] abrirá a janela de seleção de idioma do instalador. Escolha a sua preferência, e clique em [OK]. Mais um clique em [próximo], aceite o contrato de licença e clique me [próximo] e mais um [próximo]…
No tela que abre, devemos tomar o cuidado de escolher o caminho onde instalamos o nosso gvSIG. É melhor clicar em [procurar] e selecionar a pasta. No nosso caso, instalamos em “/home/[usuário]/gvSIG_1.1”. Selecionada a pasta, clique em [open] e, depois, em [próximo]. O módulo será instalado e, clicando novamente em [próximo] [afe! Que coisa mais “ruwindows”!!!] você será apresentado a tela comunicando que o módulo PilotRaster foi instalado com sucesso. Parabéns, você venceu a primeira parte deste tutorial! :)

Vamos agora a segunda parte, a instalação do módulo SEXTANTE.:
Para o download da última versão, vá até a página de downloads do SEXTANTE, e escolha o arquivo que você quer instalar, na seção destinada ao gvSIG (existem compilações do SEXTANTE para outros GIS open-source). No meu caso, selecionei a versão em inglês:

wget -c http://forge.osor.eu/frs/download.php/419/sextante_gvsig_installer_en-0.3.jar

Altere as permissões, para poder executá-lo:

chmod +x sextante_gvsig_installer_en-0.3.jar

E vamos à ação! Como agora é um arquivo .jar, o comando vai mudar um pouco:

java -jar sextante_gvsig_installer_en-0.3.jar

Abrirá outro instalador gráfico, e o procedimento será semelhante ao anterior: seleção da linguagem do instalador, informação, licença, caminho a instalar (selecione o correto – no meu pc a autodetecção funcionou, mas pode não funcionar no seu), processo de instalação e tela final, comunicando o sucesso da operação.

É isso aí! Simples assim… já podemos abrir o gvSIG, que o módulo SEXTANTE estará lá, “positivo e operante” :D

Lembrando que esse procedimento vale até a versão do gvSIG 1.1.2. Não existe ainda módulo SEXTANTE disponibilizado para a versão 1.9 do gvSIG (que ainda está na fase beta, não estável, mas que deverá passar para a versão estável em breve), mas a maioria dos recursos que antes só eram possíveis de serem usados através do módulo SEXTANTE na nova versão do gvSIG passarão a ser incorporados ao programa principal.

Antes de finalizar, uma pequena dica sobre o SEXTANTE: na página de Cursos e Tutoriais do gvSIG, existe o curso “Course in gvSIG 1.9 alpha”. Pois bem, apesar do nome do curso (e aparentemente contrariando o que acabo de dizer acima), no material disponibilizado existe um completíssimo tutorial sobre o SEXTANTE, inclusive com as imagens e bases de dados utilizados no curso (onde esclarece que essa parte do curso foi realizada no gvSIG 1.1.2 ;) ). Vale a pena o download do material!

Por hoje é só… assim que eu conseguir um espaço de tempo, volto a postar mais dicas sobre o gvSIG. Até lá!
E, qualquer dúvida ou sugestões, podem utilizar os comentários!

P.S.: fiquei sabendo que o material do VídeoCurso sobre gvSIG não está mais disponível para download. Desculpem o transtorno, mas esses links não foram disponibilizados por mim. Estou providenciando um novo local para que os mesmos possam estar disponíveis. Aguardem!