Anúncio: disponível a nova versão gvSIG 2.0 final

Deixo abaixo a tradução da notícia que foi disponibilizada hoje de manhã:

A Associação gvSIG anuncia a publicação da versão final do gvSIG 2.0 [1]. A principal novidade desta versão é sua nova arquitetura, que foi redesenhada de forma tal que o gvSIG maneja as fontes de dados com o objetivo de melhorar tanto a confiabilidade como a modularidade, beneficiando assim tanto aos usuários como aos desenvolvedores. Além de permitir uma maior facilidade de manutenção e evolução da tecnologia. Tem sido, por tanto, uma aposta de futuro com o objetivo de não limitar a evolução tecnológica e assentar as bases para uma rápida evolução. 

Não obstantemente, esta nova versão do gvSIG Desktop traz também uma série de novas funcionalidades:
  – Novo instalador, que suporta instalação típica ou personalizada.
  – Administrador de complementos, que permite instalar novas extensões e personalizar nosso gvSIG dentro da própia aplicação.
  – Algumas mudanças na interface das ferramentas de manejo de dados como:
       · Importação/exportação de arquivos.
       · Operações com tabelas.
       · Nova camada.
  – Melhoras no rendimento de abertura das camadas.
  – Suporte de WMTS (Web Map Tiled Service).
  – Cache de dados raster.
  – Interface de geoprocesamento unificada.
  – Importador de símbolos, facilitando a geração de bibliotecas de símbolos. 
  – Exportador de símbolos, que permite compartilhar com facilidade bibliotecas de símbolos completas com outros usuários. 
  – Contorno de scripting (linguagens: Jython, Groovy e Javascript).

Apesar de ser a última versão do gvSIG, temos que ter em conta que realmente nos encontramos diante em um novo gvSIG, pelo que notaremos que a mesma não conta com algumas das funcionalidades do gvSIG 1.12. Estas funcionalidades serão incorporadas em sucessivas e contínuas atualizações, conforme forem sendo migradas para a nova arquitetura. As principais funcionalidades não disponíveis são:
  – Georreferenciamento
  – Legendas por símbolos proporcionais, graduados, densidade de pontos, quantidades por categoria e por expresões
  – Extensões: Análises de redes e 3D.

Do mesmo modo, existem diversos projetos baseados nesta nova arquitetura, que permitirão que nos próximos meses apareçam novas funcionalidades e melhoras diretamente sobre o gvSIG 2.0.

Da mesma forma, temos que lembrar que o nível de estabilidade desta nova versão não é tão alto como gostaríamos, considerando-a uma versão final para efeito de que a comunidade possa começar a utilizá-la de forma oficial e, principalmente, abordar os novos desenvolvimentos sobre ela. 

Por tudo isso convidamos você a experimentá-la e a relatar os erros que encontrarem, de maneira que possamos ir corrigindo-os nas sucessivas atualizações. Os erros conhecidos desta versão podem ser consultados em [2].

Nesta versão foram habilitados também vários mirrors para a descarga dos complementos a partir do gvSIG. Estes mirrors estarão disponíveis dentro de alguns dias.

Esperamos que gostem das novidades desta nova versão e que nos ajudem a melhorá-la.

Já está entre nós a versão 1.11 final do gvSIG

Desde ontem (18/04/2011) está disponível na página oficial de downloads a versão 1.11 final (estável) do gvSIG, tanto para Linux quanto para Windows, podendo ser baixado também na página dedicada a versão 1.11.

Segundo o comunicado oficial, as principais novidades desta versão são a incorporação de funcionalidades desenvolvidas pelo projeto gvSIG Munich (by Landeshauptstadt München, Referat für Gesundheit und Umwelt:

  • Copiar/colar geometrias entre as camadas [1].
  • Buffer lateral [2].
  • Dividir linha em segmentos equidistantes [3].
  • Adicionar números consecutivos em tabelas de atributos (auto-numeração) [4].
  • Encontrar registros duplicados em tabelas de atributos [5].
  • Instalador de complementos (beta).
  • Nova versão do NavTable [6].
  • Manual do usuário incluso (disponível no menu “ajuda”.
  • Correção de falhas aportadas pela comunidade de usuários e desenvolvedores durante a fase de beta [7].

Outras melhorias em relação às versões anteriores, problemas conhecidos e outras notas desta versão podem ser consultadas aqui.

Nunca é demais lembrar que a versão 1.11 já vem com a tradução para o português do Brasil atualizada, resultado do trabalho coletivo e voluntário da Comunidade Brasileira de Usuários gvSIG.

Nos próximos dias estaremos instalando e testando a nova versão do gvSIG, e postaremos por aqui as nossas opiniões.