Arquivo da tag: ferramentas

Geoprocesso Cortar (Clip) no gvSIG 2.x

O geoprocesso Cortar (também conhecido como Clip) é utilizado quando queremos recortar uma camada vetorial (pontos, linhas e/ou polígonos) utilizando outra camada como área de recorte.

Para exemplificar este geoprocesso, vamos recortar os municípios que fazem parte de uma Microrregião do Estado do Rio Grande do Sul. Para tanto, vamos usar duas camadas: a camada dos Municípios do RS, e a camada das Microrregiões do RS. Ambos os shapes podem ser obtidos no ftp do IBGE, na malha digital dos municípios.

Inseridas as duas camadas na Vista, vamos selecionar na camada das Microrregiões, a microrregião de nosso interesse (no caso, a Microrregião de Restinga Seca). Em seguida, abrimos o menu das ferramentas de geoprocessamento do gvSIG (menu Ferramentas > Geoprocessamento > Caixa de ferramentas), e clicamos no geoprocesso Cortar (Algoritmos > Geoprocessos do gvSIG > Camadas vetoriais > Cortar).

Acessando o geoprocesso Cortar
Acessando o geoprocesso Cortar

Abrirá a janela do geoprocesso Cortar, onde poderemos definir os parâmetros do recorte que queremos fazer:

Janela do geoprocesso Cortar
Janela do geoprocesso Cortar

Na seção Entradas, selecionamos como Camada de entrada, a camada que desejamos recortar (Municipios, no nosso caso); como Camada de recorte, selecionamos a camada que servirá como máscara de recorte (Microrregiões, no exemplo).

Como queremos cortar da camada Municípios apenas aqueles municípios que fazem parte da Microrregião de Restinga Seca, selecionada anteriormente na camada Microrregiões, na seção Opções, selecionamos a opção “Feições selecionadas (Camada de recorte)“.

Obs.: Caso quiséssemos selecionar todas as feições da camada de entrada que são cobertas por todas as feições presentes presentes na camada de recorte, deixamos esta segunda opção sem selecionar (interessante quando temos apenas uma feição na camada de recorte). A primeira opção desta seção (“Feições selecionadas (Camada de entrada)“) serve para que sejam recortadas apenas aquelas feições que estão selecionadas na camada de entrada. Seria o caso, por exemplo, de que quiséssemos selecionar apenas alguns municípios que fazem parte da microrregião selecionada como máscara de recorte.

Finalmente, na seção Saídas, selecionamos os arquivos que queremos gerar. A opção padrão é Salvar em arquivo temporário, mas podemos selecionar ou criar o arquivo de saída clicando no botão “” ao lada da opção. Podemos ver também que serão criados três tipos de arquivos vetoriais: Polígonos, Linhas e Pontos. Como neste caso só nos interessam os polígonos, criei apenas o arquivo shape correspondente. Mesmo assim, as outras duas camadas serão inseridas na ToC, devendo ser eliminadas posteriormente.

Clicando no botão “Aceitar” o geoprocesso Cortar é aplicado conforme os parâmetros definidos e as camadas criadas são inseridas na Vista atual.

Resultado final do geoprocesso Cortar
Resultado final do geoprocesso Cortar

 

Exportar feição selecionada no gvSIG 2.x

Este é um dos procedimentos básicos de qualquer GIS, e hoje vamos ver como fazer essa operação no gvSIG 2.x (o procedimento é semelhante para as versões anteriores do gvSIG, mudando apenas algumas partes na interface).

Para esse exercício, vamos utilizar o shape dos municípios do Estado do Rio Grande do Sul, que pode ser obtido na malha digital dos municípios, no ftp do IBGE. Inserido a camada em uma Vista do gvSIG, vamos selecionar o município de nosso interesse, que queiramos exportar para um novo shape contendo apenas as informações referentes daquela feição.

Tenha certeza de que a camada contendo a feição que você queira exportar está ativa na ToC, e em seguida, utilize a ferramenta de seleção simples (“Seleção > Seleção simples“, ou o ícone “Seleção simples“) para selecionar o município desejado.

Selecionando município a exportar
Selecionando município a exportar

Se estiver difícil de localizar o município desejado, utilize as ferramentas de Zoom para navegar na camada, e faça uso da ferramenta de consulta “Informação por ponto” (“Camada > Consulta > Informação por ponto” ou no ícone “Informação por ponto“), que mostra os atributos do ponto selecionado:

Utilizando a ferramenta de consulta "Informação do ponto"
Utilizando a ferramenta de consulta “Informação do ponto”

Conforme podemos verificar, estamos selecionando o município de Santa Maria para exportar. Podemos conferir que a feição está selecionada pelo fato da mesma mudar de cor (para amarelo, neste caso. A cor da feição selecionada pode ser alterada nas preferências).

Com a feição selecionada, vamos exportá-lo como arquivo shape individual. Para tanto, acessamos o menu “Camada > Exportar para…” e, na janela que se abre, selecionamos a opção “Formato shape“, clicando em seguida no botão “Seguinte“.

Janela "Exportar para..."
Janela “Exportar para…”

Na sequencia, abrimos o botão “” para navegar até o nosso diretório de trabalho, e nomeamos o nosso novo arquivo (no caso, SantaMaria.shp), clicando no botão “Abrir” e depois, novamente em “Seguinte“.

Definindo o nome do arquivo a exportar
Definindo o nome do arquivo a exportar

Na aba de “Opções de exportação” que se abre, cuidar para selecionar a opção “Os registros selecionados” na seção “Indique quais registros quer exportar”. Feito isso, basta clicar no botão “Exportar” para terminar o processo.

Exportando apenas as feições selecionadas
Exportando apenas as feições selecionadas

Ao clicarmos em “Exportar”, a exportação será realizada para o arquivo definido anteriormente e abrirá uma janela perguntando se queremos inserir a nova camada na Vista atual.

Definir se queremos inserir a nova camada na Vista atual
Definir se queremos inserir a nova camada na Vista atual

Definido se queremos ou não inserir a nova camada na Vista, podemos terminar o processo clicando em “Fechar” na janela de Exportação, com o que voltamos à janela da Vista onde estávamos trabalhando.