Arquivo da categoria: gvSIG

Aprendendo SIG com Game of Thrones (VI): Hyperlinks e outras ferramentas de informação

Hoje veremos as ferramentas de informação, focando principalmente em aprender a manejar a ferramenta de “Hyperlinks”.

São 4 as principais ferramentas de informação: informação por ponto, consultar área, consultar distância e hyperlink. A essas poderíamos adicionar outras, como o “Google Street View”, que nos permite consultar as imagens deste serviço do Google… muito embora neste caso não haja carros do Google passeando pelas paisagens de Game of Thrones.

Essas 4 ferramentas estão acessíveis na barra de ícones:

figura06_01

As 3 primeiras são muito intuitivas e basta comentar o seu funcionamento para que possam ser usadas.

Informação por ponto: fornece informações sobre o elemento no qual tenhamos clicado, estando sua camada ativa. Abrirá uma janela com os valores desse elemento em sua tabela de atributos. Por exemplo, se ativarmos a camada “Locations” e clicarmos sobre o ponto que representa “King’s Landing” (Porto Real) será aberta a seguinte janela:

figura06_02

As ferramentas de consultar área e distância possuem um funcionamento similar. Após selecionarmos a ferramenta vamos clicando na Vista e serão apresentadas, em um caso informações sobre o perímetro e a área, e em outro, distância parcial e total. Esta informação aparece na parte inferior da tela, na barra de status (também aparecem outras informações como escala, unidades ou coordenadas).

figura06_03

A ferramenta de hyperlink é mais complexa, já que requer definir previamente nas “Propriedades” da camada a configuração dos hyperlinks. Vamos ver seu funcionamento com um exemplo prático.

Repassando o artigo anterior de “Edição de Tabelas” vamos adicionar ao campo “Web” da tabela de atributos da camada “Political” uma série de links para páginas web com informações sobre as Casas de Game of Thrones:

O resultado será semelhante a esse:

figura06_04

Agora vamos a informar à Camada que temos um campo (“Web”) que é um hyperlink para uma página web.

Para abrir a janela de Propriedades de uma camada clicamos com o botão secundário sobre o nome da camada na Tabela de Conteúdos ou ativamos a camada e vamos ao menu “Camada/Propriedades”.

figura06_05
Na janela que abre acessamos a aba “Hyperlinks”, que é a que nos interessa neste momento.

Clicamos em “Ativar hyperlink”, selecionamos o campo “Web” e a ação “Vincular com arquivos de texto e HTML”.

figura06_06

Agora já podemos fechar esta janela, clicando em “Aceitar” e começamos a utilizar o botão de hyperlink sobre a camada “Political”.

O que acontece cada vez que clicamos sobre um elemento? É aberto um navegador (que certamente será melhorado na próxima versão do gvSIG) com informações da página web indicada na Tabela de atributos. E que, neste caso, nos fornece toda a informação sobre cada uma da Casas. Por exemplo, ao clicarmos no reino do Norte (“The North”) nos apresenta a informação da casa Stark:

figura06_07

Agora vamos criar outro tipo de hyperlink, que abrirá uma imagem que tenhamos em nosso computador. Nesse caso, os escudos de cada uma das casas, que podem se baixados em um arquivo comprimido aqui.

Para isto primeiro colocamos a Tabela de atributos da camada “Political” em edição e adicionamos a informação do caminho onde salvamos as imagens do campo “Shield”. Algo do tipo:

  • /home/user/Área de Trabalho/Shields/Arryn.PNG
  • /home/user/Área de Trabalho/Shields/Baratheon.PNG
  • /home/user/Área de Trabalho/Shields/Greyjoy.PNG
  • /home/user/Área de Trabalho/Shields/Martell.PNG
  • /home/user/Área de Trabalho/Shields/NightsWatch.PNG
  • /home/user/Área de Trabalho/Shields/Stark.PNG
  • /home/user/Área de Trabalho/Shields/Tully.PNG
  • /home/user/Área de Trabalho/Shields/Lannister.PNG
  • /home/user/Área de Trabalho/Shields/Targaryen.PNG
  • /home/user/Área de Trabalho/Shields/Tyrell.PNG

A Tabela ficará do seguinte modo:

figura06_08

Da mesma forma que fizemos anteriormente, redefinimos o hyperlink indicando que o campo é “Shield” e a ação “Vincular com arquivos de imagem”:

figura06_08

Ao utilizarmos a ferramenta “Hyperlinks”, cada vez que clicarmos sobre um elemento da camada “Political” será aberta uma imagem com o escudo da Casa correspondente. Assim, se clicarmos em “The Westerlands” (Terras do Oeste) aparecerá o escudo dos Lannister:

figura06_10

E como nós também pagamos nossas dívidas, convidamos você para não perder o próximo artigo deste curso de SIG tão peculiar.

Aprendendo SIG com Game of Thrones (V): Edição de tabelas

Continuamos com o mini-curso de introdução ao SIG com Game of Thrones. No artigo de hoje começaremos a revisar as ferramentas de edição alfanumérica. Iniciando da camada “Political” que contém os reinos do continente denominado “Westeros” ou “Os Sete Reinos” vamos completar a informação alfanumérica original com a frase da casa reinante e dos campos que servirão para vermos (em um próximo exercício) como funciona a ferramenta de “Hyperlinks”.

Preparados?

Depois de abrirmos nosso projeto, ativamos a camada “Political” e abrimos sua tabela de atributos, como vimos anteriormente no exercício “Tabelas”. Esta tabela de atributos tem 3 campos: id, name (nome do reino) e ClaimedBy (Casa dominante). Vamos começar a edição e adicionar 3 campos adicionais.

Para começar a edição vamos ao menu “Tabela/Iniciar edição” ou clicamos no ícone correspondente:

figura05_01

Se a Vista estiver visível podemos conferir que o nome da camada (“Political”) assumiu a cor vermelho, o que nos mostra que a mesma está em edição.

figura05_02Vamos adicionar as 3 colunas, uma a uma. Existem várias formas de fazer isto, vamos a ver a mais simples, utilizando a ferramenta do menu “Tabela/Adicionar coluna” ou seu ícone correspondente:

figura05_03

Ao clicarmos no ícone aparecerá uma nova janela na qual devemos definir: o nome do campo, o tipo, o tamanho (número de caracteres permitidos), precisão (somente para campos numéricos) e valor padrão (opcional, se não for preenchido as células aparecerão vazias).

figura05_04

Os valores dos 3 campos novos a criar serão:

  • Nome: Words, Tipo: String, Tamanho: 50
  • Nome: Shield, Tipo: String, Tamanho: 100
  • Nome: Web, Tipo: String, Tamanho: 100

Após adicionarmos os 3 campos nossa tabela ficará assim:

figura05_05

Agora já podemos passar a preencher com valores as células de cada um deles. Para isto basta dar um duplo clique na célula na qual queremos adicionar dados e começar a escrever. Com este procedimento vamos preenchendo cada uma das células.

Para o campo “Words” adicionaremos as seguintes frases para cada uma das Casas Reinantes:

  • Tully: “Family, Duty, Honor”
  • Stark: “Winter is Coming”
  • Greyhoy: “What Is Dead May Never Die”
  • Martell: “Unbowed, Unbent, Unbroken”
  • Baratheon: “Ours is the Fury”
  • Arryn: “As High as Honor”
  • Lannister: “A Lannister Always Pays His Debts”
  • Targaryen: “Fire and Blood”
  • Tyrell: “Growing Strong”

O resultado deve ser similar a este:

figura05_06

Como já comentamos, os outros dois campos serão trabalhados em no próximo exercício, relacionado com os hyperlinks. Por ora finalizamos a edição da tabela no menu “Tabela/Terminar edição” ou clicando em seu ícone correspondente:

figura05_07

Antes de finalizar é importante comentar que há uma ferramenta que nos permite editar os valores alfanuméricos dos elementos de uma camada a partir da Vista. Em algumas ocasiões esta característica pode nos economizar tempo em nossas tarefas de atualização de dados.
Para experimentá-la, devemos abrir nossa Vista e, com a camada “Political” ativada, clicamos no ícone “Editor de atributos”:

figura05_08

Em seguida, devemos clicar no elemento a editar e será aberta uma janela com seus atributos alfanuméricos, onde poderemos modificá-los.

figura05_09

Experimente e comprove o seu funcionamento. Para terminar, devemos clicar no ícone “Terminar edição”, dessa mesma janela.

Continuaremos aprendendo no próximo artigo…

Aprendendo SIG com Game of Thrones (IV): Ferramentas de Seleção

As ferramentas de seleção são muito importantes em qualquer SIG, entre outras razões, porque há muitas ferramentas que são executadas sobre os elementos selecionados. Além disso, servem também para localizarmos facilmente elementos com determinadas características.

Como vimos no artigo sobre Tabelas, quando selecionamos elementos de uma camada, os mesmos também são selecionados em sua tabela de atributos (e vice-versa).

As ferramentas de seleção podem ser encontradas no menu “Seleção” ou em sua barra de ícones correspondente:

figura04_01

A maior parte das ferramentas de seleção são gráficas e seu funcionamento é similar (e muito simples). Vamos explicar este funcionamento e os incentivamos a experimentar as diferentes ferramentas de seleção gráfica.

Geralmente para aplicar as ferramentas de seleção gráfica devemos clicar com o botão primário do mouse sobre o ponto de início da seleção, arrastrar e soltar para finalizar a seleção. No caso da seleção por polígono, por exemplo, clicamos em cada vértice do polígono e damos um duplo clic para finalizar a seleção. No caso da seleção simples apenas precisamos clicar uma vez sobre o elemento para selecioná-lo.

Para adicionar entidades a uma seleção existente, devemos manter pressionada a tecla “Control” enquanto selecionamos as entidades. Para remover uma ou mais entidades de uma seleção de várias entidades, devemos manter pressionada a tecla “Control” e clicar nas que desejamos remover. Os elementos selecionados são mostrados na cor amarela.

Já experimentou?

Vamos ver agora, com mais detalhes, as ferramentas de seleção não gráficas. Antes de começar, abra novamente o projeto de “Game of Thrones”…

Seleção por atributos

Esta ferramenta se encontra no menu “Seleção/Seleção por atributos” ou através do seu ícone:

figura04_02

Permite selecionar entidades através de uma consulta de atributos.

A interface é a seguinte:

figura04_03

  1. Campos. Listagem dos campos de atributos da camada. Ao darmos um duplo clique em um campo o incorporamos à consulta de seleção.
  2. Operadores lógicos. Permite inserir, clicando sobre eles, uma expressão lógica à consulta.
  3. Valores conhecidos. Mostra uma lista com os diferentes valores que constam no campo selecionado. Ao fazer duplo clique sobre um valor o incorporamos à consulta.
  4. Consulta. Área onde é representada a consulta a executar. Permite escreve-la diretamente.
  5. Opções de seleção:
  • Novo conjunto. Cria uma nova seleção.
  • Adicionar ao conjunto. Adiciona à seleção já existente o resultado da nova consulta.
  • Selecionar do conjunto. Cria a seleção a partir do conjunto selecionado. Realiza a consulta sobre os elementos previamente selecionados e não sobre toda a camada.

Agora vamos aplicar a ferramenta de “Seleção por atributo” para selecionar todos os castelos de nossa cartografia. Para isto ativamos a camada “Locations” (clicamos sobre ela e seu nome ficará em negrito). Abrimos a ferramenta de “Seleção por atributo” e realizamos a seguinte consulta: type = ‘Castle’

figura04_04

Ao clicarmos no botão de “Novo conjunto” serão selecionados todos os castelos da camada. Agora já podemos consultar a tabela de atributos da camada para comprovarmos (conforme visto no exercício “Tabelas”) ou podemos navegar pela Vista para vermos a localização destes castelos (conforme visto no exercício “Ferramentas de navegação”).

Seleção por camada

Esta ferramenta está disponível no menu “Seleção/Seleção por camada” ou em seu ícone correspondente:

figura04_05

Permite selecionar elementos de uma camada em função de sua relação espacial com elementos de outra camada.

A interface é a seguinte:

figura04_06

  1. Selecionar das camadas ativas os elementos que… Menu suspenso que permite indicar o método de seleção.figura04_07
  2. Elementos selecionados da camada. Permite selecionar através de um menu suspenso a camada com a qual faremos a relação espacial. Essa camada deve ter selecionados os elementos que queremos que sejam considerados. Se quisermos que a relação espacial seja sobre toda a camada deveremos ter selecionados todos os elementos dessa camada.
  3. Opções de seleção. Similares às de “Seleção por atributos”.

Vamos fazer um exercício que consiste em selecionar todos os elementos da camada de localizações (“Locations”) localizados no reino das Terras do Oeste (“The Westerlands”). Para isto ativamos a camada “Political” que contém os diferentes reinos de Game of Thrones e utilizando a ferramenta de “Seleção por atributos” realizamos a seguinte consulta: name = ‘The Westerlands’

Também poderíamos ter selecionado o polígono graficamente, mas assim repassamos a ferramenta que acabamos de conhecer. O resultado será:

figura04_08

Já temos o elemento selecionado de nossa camada de referência. Agora ativamos a camada “Locations” e clicamos a ferramenta de “Seleção por camada”. Na janela que se abre indicamos o seguinte:

figura04_09

Clicamos no botão “Novo conjunto” e como resultado serão selecionadas todas as localizações contidas em “The Westerlands”:

figura04_10

Até o próximo artigo…

Aprendendo SIG com Game of Thrones (III): Ferramentas de navegação

Quando falamos em ferramentas de navegação nos referimos àquelas que nos permitirão percorrer a cartografia e aqui estão incluídos desde os típicos zooms para aproximar e afastar a imagem (isto é, para alterar sua escala de visualização) até outras ferramentas mais elaboradas.

Neste artigo veremos estas ferramentas, detendo-nos naquelas menos conhecidas e, sem dúvida, muito úteis.

As ferramentas de navegação estão agrupadas no menu Vista, submenu Navegação, estando também disponíveis como ícones.

figura03_01

figura03_02

Não vamos entrar em detalhe no funcionamento das ferramentas básicas porque são muito intuitivas e seu uso é similar ao de outras aplicações gráficas. Por ordem de aparecimento na barra de ícones temos as ferramentas básicas de navegação: deslocamento, ícones para aproximar e afastar a área de visualização, zoom na extensão máxima que ocupa a cartografia, voltar a um enquadramento anterior, mostrar a extensão máxima dos elementos selecionados, e três ferramentas mais avançadas ou de uso menos comum: gerenciador de enquadramentos, centralizar a Vista sobre um ponto e localizador por atributo. Aprender a manejar as ferramentas básicas é tão simples como clicar em cada uma delas e interagir com a Vista, portanto não vamos comentar diretamente as outras ferramentas.

Antes de começar, abrir o último projeto salvo como resultado do exercício anterior.

A primeira coisa que faremos é adicionar duas novas camadas (revise o primeiro exercício se tiveres dúvidas): “Wall” e “Locations”.

figura03_03

Já temos o muro e localizações importantes (cidades, castelos,…) em nosso projeto.

Se clicarmos com o botão secundário do mouse sobre a camada “Wall” e selecionarmos “Zoom na camada” veremos a extensão máxima que ocupa o muro.

figura03_04

Podemos observar que a camada “Locations” alterou sua simbologia para este nível de zoom; o gvSIG permite fazer este tipo de legendas que se alteram em função da escala.

Agora vamos a utilizar a ferramenta “Localizador por atributo”, que pode ser encontrada no menu “Vista/Navegação/Localizador por atributo” ou por seu ícone correspondente.

figura03_02

Esta ferramenta permite centralizar a Vista no elemento ou elementos de uma camada que tenham um determinado atributo. Em nosso caso vamos utilizá-la para visitar algumas localizações destacadas de Game of Thrones. Ao selecionar esta ferramenta será aberta uma nova janela na qual podemos selecionar, através de menus desdobráveis, a camada, o campo e o valor que queremos localizar.

figura03_05

Podemos localizar, por exemplo “Winterfell”.

Outra ferramenta de navegação pouco conhecida e muito útil é o “Gerenciador de enquadramentos”, que permite guardar um enquadramento para uma determinada zona da Vista com o fim de voltar nela a qualquer momento.

Esta ferramenta está disponível no menu “Vista/Navegação/Gerenciador de enquadramentos“ ou em seu ícone correspondente.

figura03_06

Será aberta uma nova janela, na qual podemos dar um nome ao enquadramento que queremos salvar e, ao clicarmos em “Salvar”, o adicionará à lista de enquadramentos favoritos. Como estamos em “Winterfell”, vamos salvar este enquadramento. Agora repetimos a ação de “Zoom na camada” com a camada de “Wall” e guardamos o novo enquadramento. Podemos salvar tantos enquadramentos quanto quisermos. Se os passos foram seguidos corretamente teremos algo assim:

figura03_07

Agora cada vez que queremos voltar a um destes enquadramentos teremos apenas de clicar no botão de “Gerenciador de enquadramentos” para que apareça esta janela. Selecionar na listagem o enquadramento que queremos utilizar e clicar no botão “Selecionar”.

Com esta ferramenta acabamos este visita rápida às ferramentas de navegação. Já podemos percorrer e explorar nosso mapa de Game of Thrones.

Não se esqueça de salvar o seu projeto. Nos vemos no próximo artigo

Aprendendo SIG com Game of Thrones (II): Tabelas de atributos

Continuamos com este mini curso de introdução aos Sistemas de Informações Geográficas com Game of Thrones. Hoje iremos ver como acessar a tabela de atributos de uma camada.

Em primeiro lugar abrimos nosso projeto, que salvamos depois de finalizar o primeiro exercício. Na continuação vamos adicionar uma nova camada (tal como vimos no primeiro exercício), denominada “Political” e que contém os diferentes reinos do continente de “Westeros”, também conhecido por “Sete Reinos”. A nova camada tem uma legenda que a mostra sem preenchimento e com uma linha de borda de cor preta e mais grossa.

Para ver a informação alfanumérica contida nesta camada clicamos com o botão direito sobre o nome da camada na Tabela de Conteúdos. Será aberto um menu no qual devemos selecionar a opção “Tabela de atributos”.

figura02_01

A tabela de atributos nos mostra a informação sobre a divisão política do continente, com o nome dos diferentes territórios e suas casas governantes:

figura02_02

As regiões são Dorne, Stormlands (Terra da Tormenta), The Reach (O Domínio), Crownsland (Terra da Coroa), The Westerlands (Terras do Oeste), The Vale (O Vale de Arryn) e Riverlands (Terra dos Rios). Completam os territórios do continente The Iron Islands (As Ilhas do Ferro), The North (O Norte), as zonas New Gift e Bran’s Gift da Guarda da Noite e a área de mais além do muro. Em outro exercício veremos como editar esta tabela e completá-la com as casas governantes em diferentes momentos da saga.

Algo importante que devemos saber é que a tabela de atributos e a camada com elementos gráficos são duas formas de ver a mesma informação. Cada linha da tabela corresponde a uma geometria (linha, ponto ou polígono, segundo o caso na camada). Uma forma muito gráfica de ver isto é selecionando um elemento na Tabela de atributos; para isto devemos clicar sobre a linha que queremos selecionar. De forma automática será selecionada também a geometria correspondente.

Por exemplo, se selecionarmos a linha da região The North, obteremos esta seleção gráfica:

figura02_03

Podemos ir selecionando as diferentes linhas da Tabela e ver sua correspondência na cartografia. Se quisermos eliminar qualquer seleção devemos utilizar a opção “Limpar” do menu “Seleção” ou seu ícone correspondente:

figura02_04

Simples, não é verdade? Não se esqueça de salvar o projeto, e continuaremos aprendendo no próximo artigo.

Aprendendo SIG com Game of Thrones (I): Adicionar dados a um projeto

Esta série de artigos pretende que, sem conhecimentos prévios e através de uma série de exercícios práticos, aprendamos a trabalhar com um SIG (Sistema de Informações Geográficas). Para tornar mais amena a aprendizagem vamos utilizar uma série de camadas relacionadas com o mundo ficcional de Game of Thrones (também conhecido no Brasil como Crônicas de Gelo e Fogo). Como software utilizaremos o gvSIG Desktop, um SIG livre utilizado em mais de 160 países. Serão artigos muito simples e iremos pouco a pouco nos aprofundando nas ferramentas fundamentais de um Sistema de Informações Geográficas. Começaremos hoje com algo muito básico, adicionar arquivos com dados  cartográficos.

Tanto os instaladores como as versões portables para os diferentes sistemas operacionais podem ser baixados na página web da Associação gvSIG. Se ocorrer qualquer problema com a instalação ou com o uso do software você pode utilizar a lista de usuários para se comunicar com o restante da comunidade e receber suporte.

Os dados que utilizaremos durante esta série de artigos podem ser descarregados aqui.

Em primeiro lugar, abrimos nosso gvSIG. Veremos a interface com os seguintes componentes:

figura01_01

  1. Barra de menus.
  2. Barra de ícones.
  3. Gerenciador de projeto. Permite gerenciar todos os documentos que compõem um projeto.
  4. Área de trabalho. Neste espaço podemos ter abertos os diferentes documentos de um projeto e trabalhar com os mesmos.
  5. Barra de status. Espaço destinado a fornecer informações ao usuário.

O documento que nos interessa é o chamado “Vista”. Permite trabalhar com dados gráficos. Em uma Vista a informação geográfica é representada como um conjunto de camadas.

Por padrão o documento “Vista” está selecionado (está destacado), e tão somente precisamos clicar no botão “Novo” que aparecerá uma nova Vista. Maximizamos a janela.

Agora vamos adicionar camadas na nossa Vista. Para isto simplesmente devemos clicar no botão de “Adicionar camada”, que pode ser encontrado no menu “Vista” ou no ícone:

figura01_02

… e será aberta uma janela com várias abas, que nada mais são do que as diferentes fontes de informação cartográfica possíveis de serem utilizadas no gvSIG (vamos nos ater à primeira, “Arquivo”).

figura01_03

Vamos acionar o botão “Adicionar” para carregar nossa primeira camada. Para isso, vamos buscá-la em nossa pasta de dados, selecionando o arquivo “Land.shp”. Este arquivo (você pode comprovar através de um navegador de arquivos) está acompanhado de um outro denominado “Land.gvsleg”, que contém uma legenda predefinida. Por tanto, será carregado com a cor verde e sem fundo (mais adiante veremos em outro artigo como alterar uma legenda). Representa a zona de terra conhecida de Game of Thrones. Na parte esquerda da Vista (denominada Tabela de conteúdos), podemos conferir como aparece o nome da camada com sua legenda.

Clicando sobre o nome da camada com o botão direito aparecerá um menu contextual que inclui a opção “Adicionar ao localizador”. Selecionamos ela e veremos que a mesma camada aparecerá no canto inferior esquerdo. O localizador mostrará em um retângulo vermelho a área visível da Vista.

Agora que já sabemos como adicionar camadas, vamos adicionar as camadas Islands, Landscape, Lakes, e Rivers. Arrastando e soltando cada uma das camadas na Tabela de conteúdos podemos alterar sua ordem de visualização. Com isto,  já teremos um mapa físico de Game of Thrones.

Por último vamos alterar a cor de fundo da Vista de branco para um tom azulado, o que nos permitirá identificá-lo visualmente como o mar. No menu “Vista” selecionamos a opção “Propriedades”. Na nova janela que se abre veremos que há uma opção que nos permite alterar a cor de fundo.

O resultado final será similar a esse:

figura01_04

Salvem o projeto e nos vemos no próximo exercício

Composição de bandas de imagens Landsat-8 no gvSIG 2.x

Buenas, pessoal!

Recebemos um pedido de um tutorial sobre composição de bandas de imagens Landsat-8 com o gvSIG 2.x, e resolvemos experimentar um novo formato. Dividimos o tutorial em dois vídeos:

No primeiro, explicamos como reprojetar as bandas da imagem Landsat-8, já que as mesmas estão originalmente orientadas para o Norte verdadeiro (neste exemplo, WGS 84 UTM 21 N, EPSG 32621), e precisamos reprojetá-las para o sistema de referência que iremos trabalhar (SIRGAS 2000 UTM 22 S, EPSG 31982), conforme podemos ver no vídeo:

No segundo vídeo, mostramos como inserir as bandas da imagem do Landsat-8 para fazer uma composição (no exemplo, Cor Natural, bandas 4, 3 e 2), como recortar essa imagem a partir de um arquivo shape (limite de um município) e como salvar o raster resultante.

Maiores informações sobre as diferentes combinações de bandas de imagens do satélite Landsat-8 podem ser encontradas no artigo Landsat-8: Novas Combinações de Bandas e Informações Técnicas, do nosso blog parceiro Processamento Digital.

Espero termos resolvido as dúvidas do questionamento que originou esse artigo, e nos colocamos à disposição para maiores esclarecimentos. Podem usar os comentários deste artigo para postar as suas dúvidas, que responderemos.

Peço desculpas pelo vídeo sem som. Com o tempo iremos melhorando 😉

Transmissão direta das 8as Jornadas Latinoamericanas e Caribe do gvSIG

Hoje, 20/10/2016, está ocorrendo em Montevidéo, no Uruguai, as 8as Jornadas Latinoamericanas e Caribe do gvSIG. A programação completa do evento pode ser conferida nesse link.

Mas, se você não teve a oportunidade de participar neste importante evento, poderá acompanhar todas as palestras via web, pois o mesmo será retransmitido diretamente, através dessa página do portal Vera TV.

8as_j_lac_gvsig-streaming

 

Uma lista com as novidades do gvSIG 2.3

Há alguns dias atrás anunciamos o lançamento da versão 2.3 do gvSIG Desktop, inclusive já revisamos o processo de instalação do gvSIG. No artigo de hoje vamos listar as principais novidades desta nova versão, apresentando também os links para os artigos oficiais (da Associação gvSIG) que apresentam essas novidades em maiores detalhes.

Lembramos ainda que esse assunto também foi abordado na palestra sobre as novidades do gvSIG 2.3 durante as 5as Jornadas Brasileiras do gvSIG. Mas chega de conversa, e vamos às novidades:

Distribução para Windows 64 bits.
Somando-se às existentes de Windows 32 bits, e as de Linux de 32 e 64 bits, tanto na modalidade instalável como portátil.
001_23_xxx
002_23_xxx Distribução portátil para Mac OS X
Pela primera vez está sendo disponibilizada uma distribuição oficial para os usuários deste sistema operacional. Maiores informações: Camino a gvSIG 2.3: Distribución portable para Mac OS X

GDAL: biblioteca de acesso a raster e projeções

A partir desta versão está sendo utilizado o GDAL como biblioteca de acesso a informações raster e projeções.

Uma das consequências desta alteração é o acesso através do OGR/GDAL a dezenas de novos formatos (MID/MIF de Mapinfo, Geojson, CityGML, etc.)

Maiores informações: Camino a gvSIG 2.3: Nuevos formatos disponibles (OGR/GDAL)

003_23_xxx

Novo instalador, com suporte para 64 bits

Nova biblioteca de geometrias
Suporte mais eficiente a multigeometrias

Suporte a Java 8

Gerador automático de pacotes Debian de gvSIG

Leitura/escrita de arquivos PRJ

Capacidade de leitura e escrita de arquivos PRJ (arquivo associado a uma camada de informação (shapefile, raster…) e que contém informação sobre o sistema de referência de coordenadas da referida camada.

Maiores informações:
Camino a gvSIG 2.3: lectura/escritura de ficheros PRJ (proyecciones)

004_23_xxx
005_23_xxx R: Estatística no gvSIG

Suporte à biblioteca de estatística R, tanto através do Renjin, como integrando diretamente o R.

Maiores informações:

Melhoras e mais melhoras no scripting

Foram muitas as melhoras implementadas no gvSIG 2.3 em relação ao scripting, cujo potencial aumenta exponencialmente com esta versão. Nunca foi tão fácil desenvolver para o gvSIG!

Maiores informações nos seguintes links:

006_23_xxx
007_23_xxx Segmentação dinâmica (Sistema de referência linear)

Ferramentas para trabalhar com este tipo de referência espacial no qual as localizações dos elementos estão referenciados através de medidas ao longo de um elemento linear.

No gvSIG 2.3 encontramos ferramentas que permitem definir as rotas, calibrar cada rota a partir dos marcos quilométricos, editar a coordenada M de um elemento, representar a coordenada M e gerar novas camadas com segmentação dinâmica.
Maiores informações nos seguintes links:

Google Maps, Bing Maps e Street View

Capacidade para adicionar serviços de mapas a partir do Google Maps e do Bing Maps.

Acesso ao Google Street View.

Maiores informações: Camino a gvSIG 2.3: Bing Maps, Google Maps y Google Street View

008_23_xxx
009_23_xxx Novos servidores do OpenStreetMap

Acesso a novos serviços de tiles OSM, adicionando os de Stamen: Toner, Watercolor e Terrain.

Maiores informações: Camino a gvSIG 2.3: Nuevos servidores OSM (OpenStreetMap)

Leitura e escrita de datos LiDAR

Suporte aos datos LiDAR no formato .LAS

Maiores informações: Camino a gvSIG 2.3: Datos LiDAR

010_23_xxx
011_23_xxx Assistente para abertura de dados CSV

Um assistente facilita o carregamento de arquivos CSV, tanto como tabelas quanto como camadas.

Maiores informações: Camino a gvSIG 2.3: Importador de CSV (Wizard)

Novas ferramentas de edição

Continua melhorando a potente ferramenta de edição do gvSIG, com 3 novas ferramentas: inverter sentido da linha, gerar linhas paralelas e converter curvas em polilinhas.

Gerador automático de distribuições

Plugin que permite configurar e gerar automaticamente distribuições do gvSIG para qualquer sistema operacional, personalizando sua funcionalidade, serviços OGC, EPSG, aparência….

Melhoras nas Vistas 3D

Suporte a reprojeção de Vistas 2D em Vistas 3D.

Suporte de datos vetoriais em Vistas 3D.

Extrusão em Vistas 3D.

Maiores informações:

Camino a gvSIG 2.3: Reproyectar Vistas 2D a Vistas 3D

Camino a gvSIG 2.3: Soporte vectorial en Vistas 3D y extrusión

012_23_xxx
013_23_xxx Anaglifos

Possibilidade de visualizar em modo anaglifo as Vistas 3D no gvSIG.

Maiores informações:

Camino a gvSIG 2.3: Anaglifos

Animações

Incorporação de um gerador de animações para Vistas 3D.

Maiores informações: Camino a gvSIG 2.3: Animaciones

014_23_xxx

Buscador de Cadastro (Espanha)

Os usuários da Espanha acharão muito útil esta funcionalidade que permite realizar buscas cadastrais por referência cadastral ou localização.

Maiores informações: Camino a gvSIG 2.3: buscador de referencias catastrales (España)

015_23_xxx
016_23_xxx Catálogo de favoritos

Catálogo de fontes de dados que podemos utilizar e que queremos que estejam disponéveis para poder adicioná-las em nossas Vistas da forma mais rápida possível.

Maiores informações: Camino a gvSIG 2.3: Catálogo de favoritos

Detecção automática de alturas

Detecção de edifícios e comparação de alturas entre camadas a partir de datos LiDAR.

Documentação online

Disponível documentação online para desenvolvimento e para usuários.

Podemos ainda citar dezenas de pequenas melhorias, além da correção de erros (bugs) que foram identificados. Alguns exemplos destas melhorias: atualização dos mais de 30 idiomas disponíveis, adicionar localizador a partir do TOC, atualização da versão do Groovy para scripting, nova biblioteca de símbolos INSPIRE, melhoras na usabilidade, etc.

Se chegastes ao final deste post, certamente estarás querendo baixar e experimentar a nova versão. De nossa parte, já começamos a trabalhar no gvSIG Desktop 2.4, cuja fase de publicação começará a partir de dezembro deste ano.

Estão disponíveis as palestras das 5as Jornadas Brasileiras de gvSIG

Buenas, pessoal!

Já estão disponíveis os materiais das palestras que ocorreram durante as 5as Jornadas Brasileiras de gvSIG.

Como já falamos em outros momentos, essas Jornadas foram o ponto de encontro onde os usuários e desenvolvedores brasileiros puderam compartilhar suas experiências com os sistemas de informação geográfica e software livre, principalmente o gvSIG. O encontro realizou-se na UFSM, em Santa Maria, RS, durante os dias 14 a 16 de setembro.

No link de cada palestra você encontrará para download das apresentações que foram feitas, bem como poderá assistir aos vídeos das palestras que foram feitas através de videoconferência: