Acrescentando novas rampas de cores ao gvSIG

Buenas, pessoal! Procurando manter ao menos uma postagem semanal sobre o gvSIG 😉

Uma das grandes reclamações dos usuários do gvSIG é quanto as rampas de cores (ou gradientes de cores, como soa melhor em português): embora funcionais, os gradientes disponibilizados por padrão no gvSIG não são um primor de beleza. Mesmo com o lançamento do gvSIG 2.0 essa situação não mudou.

A um tempo atrás o usuário Kevin Weels havia liberado um novo arquivo na lista de usuários do gvSIG, com novas rampas de cores, que complementavam as nativas do gvSIG, e o nosso amigo Jorge Santos, do blog Processamento Digital criou um tutorial ensinando a instalar essas novas rampas de cor. Infelizmente o arquivo anexo a lista não está mais disponível, e ficamos novamente “a ver navios”…

Depois de algum trabalho de garimpagem, o Jorge conseguiu localizar um backup do referido artigo, e me repassou. Aproveitando a boa vontade do nosso amigo, estudei um pouco o formato utilizado para criar os gradientes, e acrescentei aos esquemas por ele disponibilizados todos os gradientes de cores que estão no site Colorbrewer: Color  Advice for Maps, que é uma das principais referências quanto a esquemas de cores para mapas.

Pois bem. Chega de conversa e vamos aos fatos: para testar os novos gradientes, primeiramente baixe o arquivo palettes.zip e extraia o arquivo “palettes.xml” que está no mesmo. Em seguida, com o gvSIG fechado, acesse a pasta de configuração do gvSIG, cuja localização varia conforme o sistema operacional que você usa:

Windows XPC:\Documents and Settings\”username”\gvSIG
Windows SevenC:\Users\”username”\gvSIG
Linux:   /home/”username”/gvSIG

Substitua o arquivo “palettes.xml” existente nesta pasta pelo arquivo novo que foi baixado no passo anterior.

Por último, delete as pastas “colortable” e “ColorSchemes” que estão na mesma pasta (em algumas instalações a pasta “ColorSchemes” não está presente).

palettes01

Feito isso, já podemos abrir o gvSIG e desfrutar os novos gradientes de cores que estão disponíveis a partir de agora.

palettes02

É interessante ressaltar algumas observações que o Kevin fez, e que continuam pertinentes:

As rampas de cores são projetadas para trabalhar com dados raster e vetores, embora algumas sejam melhores para dados raster e algumas são melhores para dados vetoriais. O número de classes em cada rampa está entre parênteses como parte do nome da rampa.
No Windows, as rampas de cores são ordenadas alfabeticamente e sua visualização é agradável, durante a escolha de uma rampa. No Linux é diferente, pois não consigo ordenar as rampas de cores no Linux. Elas parecem aleatórias e sua visualização não é tão agradável quando as rampas são ordenadas como um grupo.
No entanto, eles estão completamente funcionais no Linux.
Para restaurar a cor padrão das rampas de cores, apague o arquivo “palettes.xml” e as pastas “ColorSchemes” e “Colortable”. Em seguida, reinicie gvSIG. O arquivo original “palettes.xml”e as pastas serão recriadas.

Espero que vocês gostem.