Arquivo mensais:abril 2010

[OSM] Projeto da semana – 25 de abril: Indique um restaurante

Muito interessante essa idéia, resolvi apoiar e divulgar por aqui: o blog OpenGeoData criou o “Projeto da Semana”, que te desafia a colocar no mapa do OpenStreetMap um local específico a cada semana. Nesta semana, eles estão propondo que você indique um restaurante que você conhece. Pode ser um grande restaurante, um restaurante familiar, um bar, uma banca de cachorro-quente, ou qualquer outro estabelecimento do gênero. O importante é participar! Afinal, se cada um dos usuários cadastrados no OpenStreetMap postarem apenas uma indicação, serão mais de 250 mil restaurantes cadastrados ao redor do mundo… Maiores informações sobre as tags corretas a serem usadas, você encontra no wiki, na página Project of the week/2010/Apr 25

Para não deixar passar em branco, já fiz a minha parte, e aproveitei para contribuir também com o projeto da semana passada: De volta para a Escola. Informações sobre as tags a serem usadas para escolas, na página Project of the week/2010/Apr 18

Outros Projetos da Semana que já ocorreram: Project of the week/2010

Para maiores informações sobre o Projeto da Semana:
http://wiki.openstreetmap.org/wiki/Project_of_the_week

Para fazer sugestões:
http://wiki.openstreetmap.org/wiki/Project_of_the_week/Proposals

Recuperando velhos hábitos

Como meu n810 está na assistência técnica (round 1 e round2), acabei tendo que apelar para o meu companheiro de muitas jornadas, o meu celular. Tenho um Nokia 6555 e já deixei por aqui várias dicas de como “incrementar” um celular com aplicativos java (1, 2, 3, 4). Vou compartilhar aqui como estou me virando para substituir o n810.

1. GPS e mapeamento:
Um dos programas que eu mais uso no n810 é o OSM2Go, para mapear as estradas por onde passo no meu trabalho, editar os mapas e fazer o upload dos dados para o projeto OpenStreetMap. Para suprir essa função com o 6555 estou usando o programa Locify, em conjunto com o módulo externo GPS LD-3W da Nokia, que conecta com o celular por bluetooth. Como o programa é em java, deve funcionar com a maioria dos celulares que tenham java e bluetooth habilitado. O Locify possui várias opções interessantes, mas a que eu tenho utilizado é a de traçar rotas, que são salvas no formato kml, podendo ser visualizadas diretamente como o Google Earth. Para exportar os dados para o OpenStreetMap faço uso do GPSBabel, transformando os arquivos kml para gpx, que é o formato aceito pelo OSM. Tem ainda um pequeno truque de edição para que o arquivo seja importado com sucesso, mas nõa é esse o objetivo deste post (se alguém tiver interesse no assunto é só deixar recado nos comentários).

2. Multimídia:
Essa é a função mais utilizada fora do horário de trabalho. Podcasts, músicas, vídeos, rádio online, tudo andava girando em torno do n810!
Quanto aos podcasts e às músicas, sem maiores problemas, tirando o fato de que meu celular não tem WiFi e baixar arquivos pela conexão de dados do celular é economicamente inviável, até porque não tenho um plano de dados. Nada que um download no pc mais próximo e uma trasferência por cabo ou bluetooth não resolva.
Rádio online nem pensar, pelos motivos já expostos. E como o 6555 não tem rádio interno (o n810 também não tem), escutar rádio está descartado. Pula para o radinho de pilha ;)
Quanto aos filmes, o mais difícil é se acostumar novamente a assistirem tela pequena depois de ter viciado na tela grande e de ótima resolução do n810. Filmes legendados é inviável! Dublados é aceitável, descontando a baixa resolução inerente ao formato 3gp. Por falar em formatos, para passar os vídeos para 3gp tenho usado o Mobile Media Converter e também o script de conversão de vídeos do GDH Press.

3. Leitura de ebooks:
Este sim foi o resgate de um hábito antigo! Leio ebooks no celular desde o meu primeiro aparelho com java, um Siemens C60, continuei no Motorola C650 e em todos os outros celulares que passaram pelas minhas mãos. Acostumado a este ambiente, para mim a leitura no n810 é prazerosa, principalmente por ler a maioria dos formatos disponíveis sem necessidade de malabarismos para a conversão. A tela sensível ao toque também facilita a navegação pelo texto, tanto dentro da página quanto entre as páginas.
Para ler livros no celular meu programa preferido é o TequilaCat Book Reader, um programa para Windows (roda pelo Wine em ambiente Linux também), que transforma textos em arquivos java, com recursos muito interessantes, como busca avançada, vários tamanhos de letras, rolagem automática da tela, com controle de velocidade, entre outras opções. A praticidade é ótima.
Existem outros programas com a mesma função, mas esse é o que eu mais me adaptei (sinta-se livre para deixar a dica dos programas que você utiliza nos comentários).

4. PIM e produtividade:
Muito embora não exista para o n810 um aplicativo matador nesta categoria, tenho feito um bom uso da suíte de aplicativos GPE. Calendário, contatos e lista de tarefas, com um widget para a área de trabalho, alarmes e alguma integração com os serviços do Google ajudam bastante a manter os compromissos em dia. Para substituir a altura, além de lançar mão dos aplicativos nativos do celular, que nos s40 já possuem as funções básicas de um bom nível, retornei ao apoio do velho e bom papel, na versão hipsterPDA, que complementa perfeitamente o celular nas funções de gerenciamento de informações pessoais e planejamento.

5. Outros usos:
Buenas… Aqui as possibilidades são muitas. Por exemplo, este texto foi totalmente digitado no celular e enviado por email para uma rápida formatação e publicação no blog. Notas de voz, fotos e vídeos de momentos que de outra maneira seriam perdidos, recados por sms, e por aí vai. Como falei antes, meu celular não tem WiFi e plano de dados é economicamente inviável no momento, então não vou nem comentar as possibilidade de acesso à internet pelo celular, mesmo não sendo com um samartphone. Só vou deixar uma dica: o Opera Mini 5 está matador!

OpenStreetMap: tutorial sobre como começar a editar o seu mapa

Dica vinda do pessoal do site Mapas Livres:
O OpenStreetMap é um projeto on-line de produção de informações geoespaciais livres, onde as pessoas reúnem informações sobre sua vizinhança usando aparelhos GPS, imagens de satélite ou conhecimento prévio, e compatilham para que qualquer um possa usar.
Um dos primeiros passos para quem quiser colaborar com o OpenStreetMap é aprender a utilizar o Potlatch, que é o editor on-line do projeto OpenStreetMap. Com ele você pode adicionar e editar ruas, estradas, rodovias, rios, lagos e muitos outros detalhes do Mapa. Neste tutorial sobre o uso do Potlatch estão todas as informações que você precisa para se iniciar nessa importante ferramenta.

Na página WikiProject Brazil você encontrará maiores informações sobre o trabalho desenvolvido pelos brasileiros, e sobre como colaborar com o projeto. Outra fonte de informações é a lista de discussão da comunidade brasileira.